fbpx

Que a internet é uma verdadeira aliada para médicos e clínicas, não há dúvidas. Existem várias estratégias e possibilidades de conteúdos que você pode usar para alavancar sua carreira e seus negócios.

No entanto, há diferenças entre o marketing ideal para médicos e o marketing para clínicas. E quanto mais certeira a sua comunicação for em cada uma, melhores resultados virão.

Por isso, é preciso entender a diferença entre essas duas práticas do marketing e agir com precisão para alcançar os objetivos.

O segredo está na estratégia

A maior diferença entre o marketing para médicos e o marketing para clínicas é a estratégia. Apesar de estarem quase que diretamente ligados um ao outro, são duas estratégias diferentes.

Pense bem: estamos falando de uma pessoa e de uma empresa. Essa separação é fundamental para a estratégia ideal de marketing.

Se um médico possui um perfil nas redes sociais aberto ao público, é interessante que ele faça bom proveito disso. Conteúdos como a rotina de seus plantões ou consultas, dicas de saúde e até postagens mais pessoais com a família dão muito certo. Chamam a atenção e geram engajamento.

Isso porque as pessoas que estão acompanhando aquele perfil do outro lado da tela passam a humanizar o médico. Ele é visto como uma pessoa, não apenas como um prestador de serviços de saúde.

Como isso, fica bem mais fácil de as pessoas confiarem a saúde a ele. Pois formaram uma imagem, uma ideia de competência e enxergam na pessoa um profissional qualificado. A essa estratégia se dá o nome de marketing pessoal, que é quando se constrói a marca em cima de si próprio.

Já no marketing para clínicas, o trabalho de conteúdo precisa ser menos pessoal. Estamos falando da criação de imagem de marca, que é fundamental para a escolha de um produto ou serviço pelas pessoas.

A proposta, nesse caso, é mais empresarial. Os serviços devem ganhar destaque, assim como as credenciais, o histórico e a competência de toda a clínica. Isso inclui divulgar a equipe de trabalho.

Em linhas gerais, a clínica deve ser vista como um lugar que soluciona o problema dos clientes. É a ela que as pessoas recorrem quando têm necessidade. E, claro, é lá que encontram os profissionais de referência para marcar suas consultas.

Cuidados para se ter no marketing para médicos e clínicas

Embora tenham diferenças, existem restrições impostas pelo Conselho Federal de Medicina para ambos os casos. São atribuições legais que afastam qualquer ideia de venda ou imposição de serviços médicos. Vamos a um resumo:

  • Sempre divulgar o nome do profissional, a especialidade e o número do registro no Conselho Regional de Medicina em anúncios.
  • Nunca anunciar uma especialidade que o médico não possui, pois isso pode colocar em risco a vida do paciente.
  • Não usar os aparelhos médicos como vantagem sobre clínicas e profissionais concorrentes.
  • Não usar termos como “o melhor” ou “o único” para falar dos serviços médicos.
  • Ao produzir conteúdo, não divulgar informações falsas, é necessário confirmar todas as fontes antes de fazer as postagens.
  • Nunca diagnosticar, orientar ou tratar paciente pelas redes sociais.

A Tante Comunicação Digital se especializou em marketing digital para clínicas médicas, odontológicas, laboratórios e profissionais da saúde.

Entre em contato conosco para mais informações e siga nossas redes sociais para mais conteúdos sobre marketing para o setor de saúde.

Postado por:
Flávia da Fonte