fbpx

Em tempo de mídias digitais tão presentes no nosso cotidiano, nada mais natural do que usar a internet como canal de vendas. Podemos argumentar aqui o quanto uma loja na internet pode ser um bom negócio.

Existem, contudo, diversas formas de montar um negócio de vendas na internet. Dois dos formatos mais consagrados são o market place e o e-commerce.

Ambos cumprem função semelhante: venda de produtos e serviços. Mas têm diferenças básicas em suas concepções, que tornam negócios bem diferentes.

Neste artigo, vamos explorar um pouco mais o tema. Leia até o fim e conheça mais os dois modelos comerciais de vendas online.

Conceituando e-commerce e market place

 Aí vão as diferenças. O e-commerce é uma loja virtual de marca única, 100% desenvolvida para uma empresa. É um modelo de negócio mais tradicional para vendas na internet. Funciona a partir de um “carrinho de compras”, um software que permite a escolha dos itens e o cálculo dos valores individuais e total. A ideia central é simular uma experiência em uma loja no ambiente físico, na qual você pode escolher entre diversos produtos de um único vendedor.

Já o market place, como sugere uma tradução livre para o português, é um lugar de compras, um shopping virtual com várias lojas ofertando os mais variados artigos. Funciona como um mall, no qual diversos vendedores instalam suas lojas virtuais para ofertar produtos. Ou seja, é uma plataforma que reúne empreendedores de diversas categorias, mas que são donos apenas dos seus produtos, não do lugar de vendas.

Como exemplos, podemos citar o site fastshop.com.br como um e-commerce e o Mercado Livre como um market place.

Qual o melhor modelo para vendas online?

Na internet, a expansão dos negócios tem amplas possibilidades, e a conquista de clientes mostra que as fronteiras são ultrapassadas em poucos cliques. Os custos de um comércio online são relativamente baixos se comparados à infraestrutura das lojas físicas, o que tem estimulado a transformação digital de diversos negócios.

Algo que anima muito os empreendedores digitais sobre vendas na internet é o período de atuação. São 24h no ar de perspectivas de negócios, o dia inteiro para promover e realizar vendas. Além disso, não é necessário um grande número de funcionários, permitindo a diminuição de custos com mão-de-obra.

Mas ao decidir fazer da internet um canal de vendas, há outras decisões a se tomar. Reunimos algumas vantagens e desvantagens de do e-commerce e do market place para você visualizar qual se adequa melhor a necessidades dos negócios e possibilidades de investimento. Vamos a elas?

Vantagens e desvantagens do e-commerce

Por se tratar de uma loja virtual, tem-se total controle sobre toda a operação e personalização. Em contrapartida, todo e qualquer investimento ou custo de manutenção realizado na plataforma é exclusivamente do empreendedor.

Já existem empresas que oferecem soluções bem completas de lojas virtuais, com controle de pedidos e estoque, opções de pagamentos e integração com os Correios. Contudo, por se tratar de um negócio de marca, é recomendado sempre um investimento em layout e arquitetura, para tornar a experiência do usuário fluente e positiva.

É necessário também uma assessoria para promoção, divulgação e prospecção de clientes, ou seja, os serviços uma agência de marketing digital. É possível seguir sozinho, porém é mais um desafio a ser enfrentado.

A vantagem do e-commerce é o controle total das operações da loja, não passando por regras de terceiros, tampouco é necessário pagar comissões ou taxas de divulgação. Em relação à atração de clientes, levará mais tempo para conquistá-los, mas uma vez fidelizados será mais difícil perder para a concorrência.

Vantagens e desvantagens do market place

As grandes vantagens do market place se referem a investimento, visibilidade e estrutura.

Como a loja fará parte de uma estrutura existente, os custos inerentes à formação do negócio são menores. Em se tratando de um “shopping virtual”, que atrai compradores diversos, a tendência é que se tenha um alcance maior. Afinal, a loja tem o potencial de ser encontrada mesmo por aquelas pessoas que estejam procurando outros produtos ou que estejam apenas navegando pela plataforma.

Outra vantagem significativa é que a estrutura de pagamento e segurança já estão prontas, não sendo necessário se preocupar com elas.

Em compensação a essas vantagens, o poder de decisão do empreendedor é quase nenhum, já que é necessário seguir as regras e os termos de uso do market place onde está inserido. Dependendo da plataforma, também é necessário pagar comissões, instalação e taxas de publicidade.

A internet está repleta de modelos de negócios preparados para vendas. Existem diversas formas de promover a transformação digital de um negócio e emplacar bons rendimentos. É preciso, claro, pesar os prós e os contras para tomar a melhor decisão. Conhecer as formas de negociação na rede é o ponto de partida para criar um empreendimento de sucesso no mundo virtual. Você está preparado?

Fique sempre atento às tendências do e-commerce na internet nos acompanhado aqui no blog.

Postado por:
Flávia da Fonte