fbpx

Blog

A Lei Geral de Proteção de Dados está prevista para entrar em vigor em 2021. Mas desde que foi promulgada, em 2018, tem gerado muitas alterações nas relações digitais.

O Marketing Digital é atingido frontalmente pela LGPD. Isso porque ele depende dos dados gerados na rede para otimizar a comunicação e dar prosseguimento com as estratégias online.

E como o marketing digital vai ser impactado com o novo cenário da LGPD? É o que vamos ver neste artigo. Boa leitura e bom aprendizado.

A LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados)

A Lei Geral de Proteção de Dados é o marco legal do Brasil no panorama de legislações modernas de um mundo cada vez mais conectado. O país se junta a outros que entenderam que é necessário criar leis para proteger cidadãos e dar segurança jurídica para as empresas que atuam na internet.

O avanço da internet trouxe consigo a necessidade de regulação do setor. Essa é uma demanda da sociedade civil organizada, mas que traz muitos benefícios para as empresas também. Essas legislações, no fim das contas, não servem para limitar os negócios digitais, e sim para tornar clara a relação entre empresas e pessoas na internet.

Com elas, deixa-se de ter um vácuo legal, e todos saem ganhando quando sabem em que cenário jurídico estão atuando. Casos que envolvem ataques de hackers, vazamentos de dados e violação de direitos na internet podem ser lidos à luz dessas leis para se chegar a conclusões mais precisas sobre direitos e responsabilidades.

Este é um assunto que já tratamos aqui no blog. Você pode se informar mais lendo nossos artigos que falam sobre a LGPD e a GDPR, a legislação europeia que tem impacto global.

Mas vamos ao que interessa: o impacto da LGPD no marketing Digital. Siga com a leitura.

A palavra é: privacidade

Se pudéssemos resumir a Lei Geral de Proteção de Dados a uma única palavra, ela seria “privacidade”. O espírito da lei é justamente proteger a privacidade do cidadão e dar segurança jurídica às relações digitais entre empresas e pessoas.

Para isso, ela cria uma figura jurídica muito importante para o marketing digital: o titular de dados. A lei diz que os dados gerados e coletados na internet pertencem ao seu titular (as pessoas que navegam) e são inalienáveis. Ou seja, não podem pertencer às empresas que os detêm.

Então já deu para perceber que a imensa quantidade de dados gerados pelos usuários na internet não pertence às empresas, nem às plataformas, nem às agências digitais. Ou seja, é preciso tratá-los com cuidado e, acima de tudo, pedir autorização para usá-los.

Impactos no marketing digital

  • Consentimento – toda e qualquer ação que colete, utilize e trate dados dos usuários precisa de consentimento explícito. O “pode tudo” dá lugar à transparência e ao pedido para usar os dados em ações específicas de marketing digital. É preciso ser criativo para solicitar o uso dos dados para conseguir o ok das pessoas.
  • Política de privacidade – é altamente recomendável que as empresas criem uma política de privacidade para seus negócios digitais. Elas podem esclarecer o uso dos dados privados de um modo geral e deve ser acessível às pessoas a qualquer momento.
  • Relação de confiança – o marketing digital deve criar uma relação de confiança com leads e clientes. Só dessa forma as pessoas darão seus dados e o consentimento para usá-los. Agências devem ter muita criatividade para construir essa relação no médio e longo prazo.
  • Ferramentas online – praticamente todas as ferramentas de marketing digital já atualizaram suas políticas de privacidade e comunicaram a seus usuários. Agora, essa vai ser a regra. Toda ferramenta online tem de dizer com clareza que dados coleta e como irá usar na estratégia online. É o chamado propósito específico, que limita as ações de marketing digital ao propósito para o qual os dados foram coletados.

Que lição fica?

Como vimos nos tópicos acima, a LGPD cria uma nova era para o marketing digital. Agora, é preciso trazer as pessoas para mais perto da estratégia. Não é possível mais tratá-las como números e dados.

Esta lei é um grande avanço para o país e traz mudanças que beneficiam empresas e agências que fazem marketing digital com responsabilidade e profissionalismo.

Então, procure a sua agência digital e acerte as bases da sua estratégia de marketing digital para atender à Lei Geral de Proteção de Dados.

A Tante está atenta e pronta para ajudar. Aguardamos o seu contato.

Assine a nossa newsletter para receber periodicamente conteúdos como este no seu e-mail.

Postado por:
Flávia da Fonte